História

RESUMO DA HISTÓRIA

Depois da grande depressão Americana, a Ordem DeMolay procurou retomar seu crescimento. A Legião de Honra, criada pelo Tio Land, se tornara em uma cerimônia que acrescentava um senso de responsabilidade para com o futuro da juventude e da sociedade como um todo. Sentindo , o Irmão Clarence Barnickil, em conversa com o tio Land, comentou que a média da idade dos legionários era em torno de 30 anos, dizendo:

E os jovens? Se a Legião de Honra foi criada para os mais velhos, porque não criar alguma coisa semelhante para os mais jovens?

Tio Land pensou um pouco e respondeu: Você está certo, Clarence. Eu conversei com algumas pessoas e achamos que deveria existir outro prêmio, talvez um grau para reconhecer a liderança DeMolay. Você se lembra dos anos 20, quando alguns de seus amigos foram selecionados para ajudar na iniciação e no meu trabalho? Para identificá-los como líderes, vocês usavam um boné amarelo em todas as reuniões. Você se lembra?

Ir. Clarence respondeu: Claro que me lembro. Eles eram iguais aos do rito Escocês, a única diferença era a cor.

Tio Land sorriu e disse: E como eu os chamavam? Você se lembra do que estava escrito no boné?

Ir. Clarence: Sim. Era Chevalier!

E assim nasceu a primeira ideia do Grau Chevalier. A Cerimônia de Consagração foi a primeira escrita sem Frank Marshall, bem menor do que a Legião de Honra, no entanto, com profundo significado religioso. Pela primeira vez em uma Cerimonia DeMolay, cita uma parte inteira das escrituras sagradas (Salmo 91).

A primeira apresentação pública de uma Cerimônia de Consagração Chevalier foi no Teatro do Auditório Municipal de Kansas City (foto), em 2 de junho de 1937, onde Land assumiu o posto de Grande Comendador para a concessão do Grau. Segundo os membros que assistiram, foi um dos maiores espetáculos da Ordem DeMolay até então.

Auditório Municipal de Kansas City

 

No Brasil a primeira Corte Chevalier foi fundada no ano de 1985, na cidade do Rio de Janeiro, esta Corte recebeu o nome de “Grão Mestre Arlindo dos Santos” nº 01.

O GRAU DE CHEVALIER

“Mesmo antes da torre de Nínive ou do estabelecimento do Templo de Salomão, antes que os egípcios construíssem suas pirâmides, que Jasão procurasse o Velo de Ouro ou que os soldados da fortuna seguissem as Águias de Roma, já era costume antigo honrar aqueles que de renome eram merecedores” (Trecho da Cerimônia de Chevalier).

O Grau de Chevalier é a maior honraria que um DeMolay Ativo ou Sênior pode receber, sendo que somente a Legião de Honra, honraria conferida a uma liderança adulta extraordinária, ultrapassa esta distinção. Deve ser conferido em absoluto segredo, uma por ano, através de uma Cerimônia de Investidura própria, realizada publicamente, que relembra os antigos anos da Cavalaria.

É considerando, na verdade, um grau de aquisição para o jovem que desempenhou relevantes serviços a Ordem DeMolay. Em 08 de novembro de cada ano, é dever de cada Chevalier homenagear Frank Sherman Land, fundador da Ordem DeMolay, repartindo “o pão” com seus Irmãos na observância anual do dia “In Memorian”.